sábado, 28 de setembro de 2013

Então é isso, muita coisa para contar

Vamos colocar o papo em dia?
Tudo bem, minha culpa, minha tão grande culpa. Não ando postando quase nada. Mas é por bons motivos. Estou a mil. Em casa, no colégio, no escritório. Mil ideias, muito trabalho e uma vontade enorme de crescer, fazer diferente e isso é muito bom.
Junto desses sentimentos tão agradáveis e de tanta coisa boa também tem uma nostalgia, uma saudade enorme dos meus bichano que talvez tenha me afastado um pouquinho das minhas escritas. Eles ficavam aqui, ao meu lado enquanto escrevia. Inspiravam-me. Estou pensando seriamente e tenho duas opções: adoto outro bichano já sabendo que podem matá-lo( tomara que o sujeito tenha tomado jeito e não faça mais isso) e eu terei que conviver e adotar outro ou fico sem nenhum. Ainda não me decidi. Deixei por conta da natureza, joguei aos céus. Caso apareça uma peludinha no meu caminho fico com ela, caso contrário, não.

 Bem, tricotei esse casacão. A ideia era exatamente essa: um casaco bem comprido, largo e fofinho. Mas, exagerada que sou ficou enoooooooooormeeeeeeeeeeeeeeee. Mas está lindo e fofo. Não vou desmanchar.
 Resolvi, após dois longos invernos (não tão frios assim) terminar a blusa do filho. Só falta o que eu não gosto: costurar, arrematar. Alguém se habilita?
 Fiz uma limpeza no meu material craft, doei muita coisa para o bazar do inca e para a Igreja perto daqui e resolvi juntar os restinhos de lã em uma colcha. Dá um trabalhão mas é delicioso ver o colorido dos squares junto ao fundo preto. Qual será o tamanho? Não sei. Vou juntando os squares ( até minha sogra colaborou e fez quase 80!) quando cansar eu páro ou não rsrsrs
 Bom, se tem uma coisa que sempre quis fazer e ainda não tinha coragem era uma colcha para minha cama. Linhas compradas (ainda faltam alguns tons de marrom) e nesse verão eu começo. Sem pressa para acabar. Vou fazer em squares porque dá para carregar uma linha e agulha para qualquer lugar e, nos momentos de espera: crochetar. É o que faço no recreio do colégio, na espera pelas audiências, pelo atendimento médico... e só assim não sinto estar perdendo tempo.
 E como andamos com uma overdose de realidade, tenho lido três ou quatro romances por mês, além dos livros técnicos, de estudo. É um carinho na alma, adocica. A Marlena de Blase já é queridinha .Mal comecei a ler A Doce Vida na Úmbria e já estou apaixonada, com vontade de me mudar para a Itália.
 Não conheço a Julia Quinn . Como ela escreve romances de época, comprei cheia de expectativas. também estou relendo Jane Austen que amo, amo, amo.
 Esse aí foi só passatempo mesmo. Muito fraquinho. Cumpriu a função mas encaixo na categoria de "literatura de piscina"
 Estou me aventurando no mundo da costura. Comprei uma máquina de costura muito fofa, mil paninhos e vou começar por esses monstrinhos/naninhas que serão lembrancinhas do aniversário do Bernardo.
Esse o crochê da semana: uma almofada nesse fio lindo,o Barroco da Círculo, Uma delícia de trabalhar e rende...

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Gordices

A gente faz dieta, exercício, etc. mas não resiste a uma gordice!
Para amenizar o " efeito pão" fiz esses com aveia e soja. A mesma receita do Challah só substitui metade da farinha por aveia e soja.
Já o bolo, esse é gordinho mesmo. Bolo de laranja com cobertura de brigadeiro e raspas de laranja para decorar e dar aquele gostinho especial.
Delícia!

Ocorreu um erro neste gadget