sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Refrigerantes ou sucos????? Livros em papel ou digitais?????? Antiguinho ou moderninho????


Assim que vi essa imagem no blog da Andrea, do cantinho Shabby, fiquei extasiada. Dá vontade de tomar litros de sucos!
Já me decidi por uma suqueira muito prática. Há tempos atráss vi um filtro que só tem a parte de baixo transparente,  num supermercado e fiquei pensando: Como assim? Um filtro sem filtro???? Bem, agora será uma suqueira.
Já pensou em servir um mate geladinho? Limonada? Suco de abacaxi? Hum!!!!! A PAI XO NEI!!!!!
Dá vontade de nunca mais servir um refrigerante numa festinha. E será por que a gente faz isso? Sabendo que o doce sabor é um veneno????

Mas tem uma explicação, claro! É rápido, prático, barato e todo mundo toma. O roteiro é simples: mercado- geladeira-mesa. O resultado também é simples: celulites, gordura, agitação, diabetes...
Decisão do dia: diminuir radicalmente os refrigerantes!
Não é coisa difícil de cumprir uma vez que o povo daqui de casa ama sucos.
Sempre procurei deixar sucos e chás prontos, geladinhos. O problema é não ter à mão. Aí, apela-se para o refrigerante.

Outro dilema que o mundo moderno traz é esse: livro ou e book?
Sobre isso nem vou discorrer. A Lanynha já fez isso da melhor forma lá na Varanda.
É inegável, para quem gosta de livros, o apelo do cheiro do papel, da possibilidade de rabiscar, anotar ou simplesmente, guardar uma flor dentro de um livro que toca.
Lembro, até hoje da violeta que meus tios Flávio e Fátima colocaram dentro do Livro Planeta Lilás. Ao terminar a leitura e me deparar com aquela florzinha singela, o livro fez-se verdade para mim.
Como também é inegável o apelo do livro digital: fácil de transportar, prático, leve.
Meu querido me deu um reader há um tempinho e não posso negar o quanto gostei. Na verdade, apaixonei! (Cumpre esclarecer que me apaixono fácil pelo que é bom.)
Nele tenho uns 50 livros. Alguns vieram com ele e entraram na minha lista de leitura, outros baixei do domínio público, um site que disponibiliza gratuitamente os clássicos, os livros que já entraram para a categoria de domínio público. Um achado!No meu já estão O Príncipe, Romeu e Julieta, Política e outros tantos... Tarefa impossível de carregar numa bolsa, mesmo que feminina e enorme como são as minhas.
Fica fácil armazenar o Vade Mecum- tortura e peso extra de todo advogado.
Outra facilidade do reader é poder ler, na cama, aquele livro de 600 páginas sem quebrar o nariz ou torcer o pulso. Confesso que já abandonei a leitura de dois ou três livros porque eles insistiam em me machucar.
Por outro lado, mesmo com todos os recursos, não substitui o papel. Bom e velho papel.
No amor, fico com o antiguinho.Entre namorar ou ficar, fico com namorar, casar, ter filhos, netos e viver feliz para sempre. Uma escolha pessoal mas que me faz muito bem.E feliz!
Ter por objetivo constituir uma família foi o que sempre me moveu. Nisso, sou bem antiguinha, assumidíssima!
Aquela coisa de ir ficando para ver se dá certo não passou pela minha cabeça. Queria encontrar meu príncipe encantado.
Outra coisa: sempre detestei a frase do Vinícius "Mas que seja infinito enqaunto dure" . Deixando ao vento, não vai durar. E eu tenho por hábito manter as coisas que amo.Dos livros, às antiguidades, do crochet aos animais. por que seria diferente em relação ao amor? À família?
Então, queridos: gosto de suco e de refrigerante, de livros de papel e digitais, de tricot e de malha. Mas não gosto de relações efêmeras.

2 comentários:

  1. Concordo com tudo amiga !!!
    menina brava essa !!!! risos

    bjkas

    ResponderExcluir
  2. Hey
    Refrigerantes ou sucos????? Livros em papel ou digitais?????? Antiguinho ou moderninho????
    Appreciate it for this post, I will be extremely thankful to find out these kinds of fantastic information.
    Thank you!

    ResponderExcluir

Obrigada por passar por aqui e deixar um comentário!

Ocorreu um erro neste gadget