sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Jacques Prévert


Tive uma professora de francês fantástica por sete anos: D. Aracelli.

Uma mulher alta, larga, altiva, muito chique, elegante com as palavras, fime, exigente e ao mesmo tempo doce, meiga, carinhosa. Resumindo: D. Aracelli é tudo!!!!!!!!!!

A rotina das aulas era a seguinte: ditado, texto, vocabulário, leitura do texto, gramática, exercícios gramaticais.

Isso mesmo! Ela fazia e nos fazia fazer tudo isso em UMA aula. Era uma maratona!

Detalhe importante: ela corrigia TODOS os ditados, tomava leitura, passava o vocabulário no quadro com uma letra magnífica.

Quanta saudade!

Um amigo de classe que hoje mora nos EUA me disse que encontrou com ela em Paris. Disse que ficou tão emocionado com a situação, encontrar a nossa deusa em... Paris.

Em homenagem a minha amada D. Aracelli, um poema que decorei quando estava na 5a. série para recitar para ela.


Outro detalhe: na época entendia o texto, mas não sabia lê-lo.

Sempre me pego recitando-o.


Um beijo, eterna mestra!!!!!!



DÉJEUNER DU MATIN

Il a mis le café dans la tasse

Il a mis le lait dans la tasse de café

Il a mis le sucre dans le café au lait

Avec la petite cuiller il a tourné

Il a bu le café au laitet

Il a reposé la tassesans me parler

Il a alluméune cigarette

Il a fait des ronds avec la fumée

Il a mis les cendres dans le cendrier

Sans me parler sans me regarder

Il s’est lévé

Il a mis son chapeau sur la tête

Il a mis son manteau de pluie parce qu’il pleuvait

Et il est parti sous la pluie

Sans une parole sans me regarder

Et moi j’ai pris ma tête dans ma main e j’ai pleuré.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por passar por aqui e deixar um comentário!

Ocorreu um erro neste gadget